• 41 99630 0512
  • contato@azdepaus.com

Blog

Facebook ADS e Google ADS: conheça-os

Facebook Ads e Google Ads, os dois principais canais quando se fala em publicidade na internet, focada em impulsionar significativamente negócios.

Quando chega o momento de planejar a estratégia de vendas online é comum surgir a dúvida sobre qual plataforma de anúncios usar. Afinal, buscamos o que mais gera retorno positivo. Então, entre Face Ads e Google Ads, qual pode proporcionar o melhor resultado?

Vamos analisar as opções, considerando funcionalidades e pontos fortes e fracos de cada uma. Isso ajudará você a descobrir qual usar em seu negócio.

Pontos em comum

  • As duas plataformas são voltadas à publicidade paga por clique (CPC). Isto é, quando um anúncio é criado, atribui-se um valor de lance a ele (o quanto você quer pagar por aquele anúncio) e, então, ele participa de um leilão. Sendo mostrado como resultado de pesquisa, a cobrança é feita cada vez que alguém clicar no anúncio.
  • São simples de configurar e possuem grandes recursos avançados, principalmente, para segmentação de público. Assim, iniciantes podem apostar nelas, não são nenhum bicho de sete cabeças.
  • Tanto a Google quanto o Facebook são os gigantes da internet, os locais que mais concentram usuários diariamente.

Google: 3,5 milhões de pesquisas por dia.

Facebook: 127 milhões de brasileiros ativos.

 

As diferenças entre Face Ads e Google Ads

Basicamente, o Google Ads é voltado para anúncios de pesquisa e o Face Ads para anúncios sociais.

Em anúncios de pesquisa, este é exibido ao público em uma página de resultados de busca. É segmentado por meio de palavras chaves e não, necessariamente, por características do público-alvo. Se você procurar por tênis amarelo no Google, ele retornará resultados com anúncios de tênis amarelo, pois foi o termo que você pesquisou – independentemente de idade ou sexo da pessoa, por exemplo.

Quem paga mais tem maiores chances de aparecer em posições melhores da página de resultados no Google?

Com certeza, não! O que determina a posição do anúncio é a sua qualidade e relevância para o público. Quem clicar no anúncio terá uma boa experiência na página para o qual foi redirecionado? A boa experiência é o fator que aumenta as chances, o $$ vem em segundo plano para o Google.

Adendo: o Google Ads possui mais possibilidades de canais para anúncios além do seu buscador, como o YouTube e o Google Maps. Mas, a nível iniciante, vamos considerar apenas a rede de pesquisa.

Sobre o Facebook Ads, ele trabalha com anúncios sociais, onde você paga para que o seu conteúdo apareça no feed do seu público-alvo. O Facebook vem mudando a maneira que distribui os posts pelos feeds e isso diminuiu a exibição de posts orgânicos, forçando as marcas a serem anunciantes dentro da plataforma.

No Face Ads, você pode veicular anúncios no feed de notícias, no Instagram, no Messenger e na rede de audiência do Facebook. A vantagem em relação ao Google é a segmentação de público. Você pode escolher perfis envolvendo dados geográficos, demográficos, características de vida e interesses das pessoas. Isso sem falar na criação de públicos com perfis semelhantes aos seus já clientes.

Também, possui um recurso chamado Facebook Audience Insights, que apresenta informações específicas e valiosas sobre o seu público-alvo. Usar esses dados corretamente torna o FB Ads uma ferramenta incrível, pois te coloca em contato direto com clientes em potencial.

Diferente do Google Ads, a publicidade no Facebook é mais sútil. A pessoa pode ser atingida pelo anúncio, mas, em primeiro momento, irá apenas curtir a página para acompanhar as postagens, após um tempo, então, que ela decidirá se irá realizar negócio com a marca.

Aqui, temos que entender os dois momentos cruciais no ciclo dos consumidores: a necessidade e o desejo. A necessidade é algo inevitável, você terá que adquirir determinada coisa. Se o seu negócio supre uma necessidade, esse é o momento do seu anúncio aparecer para o usuário. A plataforma que impactará nesse momento é o Google Ads, pois, a pessoa está, no momento, ativamente buscando suprir a sua necessidade.

Agora, o desejo é algo que você quer comprar, mas depende de variáveis (situação financeira e indecisão, por exemplo) e não precisa ser comprado imediatamente. Você primeiro conhece o produto/serviço, fica “namorando-o” por um tempo até o momento de decisão de compra. Essa relação de namoro entre possível cliente e marca é feita com o Facebook Ads. Construir, impactar e se relacionar com uma base de cliente, tudo é feito pelo Facebook e Instagram.

Pontos fortes

Google Ads

Aborda o púbico no momento exato da busca por algo. Então, meio caminho está andado. A pessoa já está procurando por algo que você pode oferecer, assim, as chances de conversões (vendas) são altas.

A imensa audiência diária do Google é imbatível, o buscador mais usado em todo o mundo.

Facebook Ads

É a plataforma ideal para se aproximar dos clientes em potenciais e se relacionar com eles, não apenas uma venda direta. Como as características pessoais são consideradas no Facebook, você anuncia por meio de conteúdos que condizem com os interesses, crenças e valores do público-alvo.

Aspecto Visual

O Google, mesmo tendo maior foco em anúncios de texto, trabalha também com a rede de display, que permite explorar outros formatos de anúncios, mais visualmente atrativos (banners e vídeos). No Facebook, o visual é poderoso. Você pode criar vídeos, imagens, carrossel de imagens etc., para se destacar dentre os vários posts no feed dos usuários.

Qual é o melhor?

Ter essas duas plataformas como concorrentes é uma péssima visão. Elas são complementares, existem situações em que o Google Ads se encaixa melhor (como para promoções em datas comemorativas) e outras em que o Facebook Ads gerará um retorno melhor (como para a apresentação do lançamento de um produto).

Tem outro post em que comentamos como determinar qual das redes usar, aqui.

×