• 41 99630 0512
  • contato@azdepaus.com

Blog

Google Ads X Facebook Ads: como saber qual rede é melhor

É comum clientes chegarem solicitando anúncios em determinada rede ou, ainda mais comumente, questionando qual delas é a melhor para anunciar. A nossa resposta é sempre a mesma: depende.

Tanto o Google quanto o Facebook são duas redes gigantes e poderosas. Cada qual com suas características e envolvem outras redes dentro delas (Instagram, Shopping, YouTube, Gmail, apps).

Saber qual delas é a melhor envolve a análise de variáveis. Inclusive, a pergunta correta que temos que fazer é “qual dessas redes de anúncio é melhor para tal tipo de negócio e tal objetivo?”.

Existem seis pilares que quando identificados, orientam para qual rede de anúncio as chances de retorno positivo aumentam.

  1. Público – para quem a oferta é destinada e onde essas pessoas estão?
  2. Oferta – o que será ofertado e de que maneira (condições de pagamento, entregas, retiradas etc.).
  3. Estratégia – como atingir o público e convencê-lo com o anúncio.
  4. Objetivo de marketing – o que deseja que os anúncios gerem. Gerar vendas diretas? Leads? Conhecimento de marca?
  5. Verba disponível – qual o valor destinado para a estratégia.
  6. Conhecimento técnico – saber como usar as ferramentas para o objetivo ser alcançado.

Os dois últimos, verba e conhecimento técnico, são as determinantes finais.

O orçamento disponível precisa ser destinado para uma plataforma onde seu público está, onde irá dar atenção à sua oferta e realizar a ação para alcançar o objetivo do anúncio de forma que o valor seja mais bem aproveitado.

O Google Ads, por exemplo, é uma rede com mais concorrência ampla e tende a ser mais cara. Então, um baixo orçamento, talvez seja melhor utilizado nas redes sociais como o Facebook e Instagram.

O conhecimento técnico envolve o saber como utilizar a ferramenta de maneira correta para gerar resultados satisfatórios. Às vezes, até se sabe o que a plataforma é capaz de fazer, mas não sabe como fazer.

Outro exemplo são as vendas diretas. Serviços e produtos que possuem busca ativa, ou seja, quando os procuramos na internet e estamos prontos para fazer contato, funcionam bem com anúncios na rede de busca do Google. É só pensar quando você precisa de um encanador, você faz a busca no Google e entra em contato rapidamente.

Nem todas as redes funcionam para todas as estratégias. As redes sociais são melhores para gerar reconhecimento de marca, leads e oportunidades.

A verdade é que uma rede não exclui a outra. O ideal é testar os anúncios nas plataformas e, após, comparar os resultados em relação ao objetivo traçado.

Vamos exemplificar com o mundo offline. Uma mesma panfletagem feita em três locais diferentes. No semáforo, na entrada de uma loja e na calçada. Em alguns desses lugares, o retorno será melhor. Afinal, eram pessoas diferentes em cada local. Na internet é a mesma coisa.

Analisar os testes

Para analisar o resultado dos testes, vamos além das métricas populares, como cliques. É preciso focar no custo por aquisição (CAC).

Quantas pessoas são necessárias atingir para gerar uma venda?

Independentemente do objetivo, todo negócio no fim busca a mesma coisa, receita. Então é esse o foco para saber em qual rede os anúncios geram menos custo e mais venda.

Por exemplo, você pode pagar mais barato em um lead no Facebook do que no Google. Porém, no Facebook, é necessário muito mais leads para gerar uma venda do que no Google.

Diferenças entre Google Ads e Facebook Ads

A característica principal do Google é que as buscas são feitas por pessoas efetivamente interessadas e prontas para comprar o serviço ou produto – ou, ao menos, a grande maioria. O público dessa rede está mais pronto para contatar a empresa.

No quesito de segmentação de público, o Google é mais limitado. Isso significa maior concorrência e custo dos anúncios.

Já no Facebook, os usuários estão passeando pelo feed, não estão buscando produtos ou serviços e nem, necessariamente, prontos para realizar um compra. Os anúncios aparecem para o público de acordo com os interesses dos usuários. Muitas vezes ele nem sabe que precisa de algo, até esse algo aparecer em sua frente.

A segmentação do Facebook é mais detalhada. Então, as chances de atrair as pessoas realmente interessadas aumenta.

O Facebook Ads gera bons retornos para criar relacionamento com o público (curtidas, compartilhamentos, seguir etc).

Para o Google é imprescindível ter um bom site e boas landing pages. Muitas vezes, o anúncio atrai a pessoa, mas o site é confuso, não passa confiança e profissionalismo. Grandes chances de o usuário abandonar o caminho traçado e não realizar a ação para o objetivo do anúncio.

×