• 41 99630 0512
  • contato@azdepaus.com

Blog

// Tenho uma lista de clientes, o que fazer com ela?

Muitos proprietários de negócios já ouviram falar que se você tem uma lista de contatos de clientes, você tem um ativo muito valioso em mãos. Realmente, possuir os contatos de pessoas interessadas em seu serviço/produto é um meio muito interessante para aumentar a lucratividade sem elevar o investimento em marketing. Isso vale para empresas de qualquer porte.

Porém, colecionar nomes e contatos de pessoas não vale de nada se você não usar essa lista para criar e manter relacionamentos.

O que uma boa lista de clientes possui?

Isso depende da atuação do negócio. O básico é ter nome e e-mail, mas você pode incluir também telefone e cidade onde mora. Além disso, dá para inserir na lista dados mais aprofundados. Por exemplo, se você comercializa produtos, inclua os produtos prediletos de cada cliente.

Uma dica simples é organizar essa lista no Excel, sendo cada linha um cliente e cada coluna uma informação. Depois de organizada, a lista é segmentada de acordo com os objetivos da estratégia de relacionamento. Vale segmentar por interesse, gênero, idade e, até mesmo, pelo tempo que o cliente está sem fazer negócio com a empresa. O que irá determinar as segmentações é o tipo de negócio.

Estratégias com a lista de clientes

E-mail Marketing

Diferente do que alguns imaginam, o e-mail ainda não morrerá. Basta pensar que para praticamente tudo que um usuário faz na internet, ele precisa de um endereço de e-mail. Assim, podemos dizer que o e-mail marketing ainda será uma estratégia viva, afinal, com menos ou mais frequência, as pessoas continuam acessando seus e-mails.

Um estudo da Adobe sobre a geração de millenials mostrou que, até mesmo os mais novos, checam seus e-mails pessoal frequentemente. Também, a pesquisa E-mail Marketing 2018 Trends, da Rock Content, que analisa como as empresas estão trabalhando essa estratégia, trouxe dados interessantes:

  • 95% dos entrevistados recebem alguma newsletter em seu e-mail;
  • 73,5% gostam desse tipo de e-mail;
  • 16,2% das empresas dedicam tempo/investimento/pessoal na estratégia de e-mail marketing.

Abordar um cliente ou lead através do e-mail tem a vantagem de ser um contato mais pessoal, como se fosse um vendedor batendo na porta da casa, com a diferença de que a pessoa presta atenção no que você está dizendo no momento que for mais oportuno para ela, com vontade própria.

Além disso, é uma estratégia barata, sem altos investimentos, principalmente, quando comparada com anúncios nas mídias sociais.  Hoje, com as alterações nas plataformas, o investimento em anúncios nas redes precisa ser maior. Por exemplo, o Facebook diminui (e continua) a veiculação de posts orgânicos na timeline dos usuários, dando lugar aos anúncios.

O retorno da estratégia de e-mail marketing é um dos maiores dentre as ações de Marketing Digital.

Porém, como nada é tão simples assim, o retorno só virá se você souber o que está fazendo. O primeiro erro que se pode cometer nessa estratégia é enviar e-mail para quem não aceitou recebe-los. O correto é perguntar ao cliente se ele gostaria de deixar seus dados para receber informativos e, para os leads, deixar campos de inscrição no site, para receber os e-mails (pop up ou landing pages). Não force a inscrição, seja convidativo.

Essa estratégia pode ser usada durante todo o funil de vendas, com conteúdos personalizados e enviados nos momentos certos – convencendo a pessoa a fazer negócio com a empresa.

Importante que você trabalhe bons conteúdos, interessantes ao público, e tenha regularidade no envio. Assim, os remetentes tendem a confiar mais em seus e-mails e sempre abrir quando chegarem em suas caixas de entrada. Isso conta muito para que os servidores de e-mail não entendam que você está enviando spam – o que acontece quando as pessoas não engajam com os e-mails, por isso, a taxa de abertura é uma das métricas principais a serem observadas para medir o desempenho dos e-mails marketing. Se seus e-mails começarem a ser classificados como spam, até mesmo o seu domínio pode ser prejudicado.

O E-mail Marketing ainda é muito útil para iniciar e melhorar o relacionamento com leads e clientes.

Marketing pelo WhatsApp

O Whats é a rede social com mais usuários ativos por mês. A empresa, recentemente, fez um estudo sobre a aplicabilidade da plataforma em negócios, como ferramenta de marketing. O resultado foi:

  • 87% das Pequenas e Médias Empresas usam o app porque facilita a comunicação com clientes.
  • 81% Apontam que o app contribui com o crescimento dos negócios.

O WhatsApp é uma ferramenta fácil, rápida, de grande alcance e de baixo custo.

Mas calma, não vá sair mandando mensagens em listas de transmissão adoidado. Inclusive, vale avisar que o excesso de notificações pode fazer a conta ser marcada como spam. Devido à intimidade que o Whats proporciona, essa estratégia precisa ser bem planejada e executada. Não seja inconveniente, mas sim estreite as relações.

Divulgações promocionais podem ser encaminhadas via Whats, mas também pode ser um meio de suporte e sac de sua empresa. Mas, para isso, é preciso garantir que o atendimento será ágil, com simpatia e educação e, acima de tudo, com atenção dedicada ao cliente.

Para não ter efeito reverso e acabar atrapalhando a relação com o público, há alguns cuidados:

  • Sem frequência exagerada;
  • Não seja invasivo e seja objetivo;
  • Estabeleça horários de atendimento via Whats;
  • Envie as mensagens o mais personalizado possível. Mostre que tem alguém real por trás das mensagens e não um robô.

O contato estreito do Whats também pode ser usado em momentos de crise. Quando, por exemplo, você precisa se retratar ou pedir desculpas a algum cliente. Assim, com uma conversa sincera e amigável, pode até reverter uma experiência que seria negativa.

Na estratégia com o Whats também vale a máxima: apenas se comunique por whats com clientes que sinalizaram aceitar ser abordado por esse meio.

O que preciso para colocar em prática as estratégias?

Fazer o gerenciamento de todos os e-mail e mensagens, listas e estratégias sozinho demanda muito tempo – seria inviável. Por isso, além de um bom planejamento de conteúdo, orientamos a usar ferramentas disponíveis no mercado que fazem esse trabalho por você. A maioria é paga, mas possuem conta free (dependendo do volume de contatos e e-mails).

As ferramentas de gestão de e-mail e mensagens possuem funcionalidades que farão o trabalho ser mais fácil e muito mais profissional. Além de permitir a análise dos resultados de cada e-mail.

Alguns exemplos de ferramentas:

E-mail Marketing: MailChimp e Aweber

WhatsApp: WhatsApp Business e WhatsLovers

Com elas você envia campanha promocionais, segmenta o envio, configura mensagens automáticas e muito mais.

Como são os conteúdos?

Não foque em conteúdo promocional. Acima de tudo, os conteúdos enviados precisam ser informativos. Eduque sobre seus produtos/serviços, ajude com dicas e mostre que você entende sobre o seu segmento e como melhorar a vida do cliente.

Por exemplo, se a sua empresa for uma consultoria financeira, seus clientes podem receber orientações personalizadas ao estilo de vida deles de como montar um planejamento para a viagem de férias. Isso não irá entregar o serviço que você presta, não é invasivo e, ainda, as pessoas poderão aplicar as dicas em suas vidas. Isso gera credibilidade.

Além da credibilidade, com os e-mails/mensagens o público estará em constante contato com a marca e diante de vários inputs de vendas, seja no conteúdo em si ou por meio de links contidos.

Manter um relacionamento com a sua lista de clientes é a melhor dica para aumentar a receita da empresa sem elevar o investimento em divulgação.

Como você está trabalhando a sua lista de clientes? Será que está aproveitando todo o potencial que ela possui? Vamos analisar juntos, sente-se à mesa conosco!

 

×